30-04-17

A série GirlBoss e suas (im)perfeições

A série do NetFlix GirlBoss, é baseada no livro de mesmo nome, escrito por Sophia Amoruso, criadora da  loja Nasty Gal, que começou no Ebay, e depois apenas quase que ganhou o mundo.

GirlBoss

Conselho de amiga. Escute a playlist de GirlBoss

— A vida adulta é aonde os sonhos vão para morrer. Cresça, arrume um emprego, vire um robô. É isso. Depois acabou. A socieade só quer colocar todos em uma caixa. Bom, sabe de uma coisa, sociedade? Não existe caixa. Se achasse que passaria o resto da minha vida como uma engrenagem irracional em uma máquina juro, eu faria uma tatuagem na cara dizendo: “Sério, cara?”. Só preciso descobrir um jeito de crescer sem me tornar uma adulta chata.
— Quer saber o que eu acho? Tudo o que está dizendo é idiotice.
— A conformidade é uma prisão, e a tatuagem está mais para metáfora.
— Não, idiotice é você choramingar sobre como é terrível crescer.
— Não estou choramingando. São pensamentos bem pensados.
*Sophia leva um tapa na cara*
S01E01

Sophia, não faz ideia do que está acontecendo com a sua vida. Ela tem 23 anos, um pai que trabalha muito, e que pelo o que parece, não acha que Sophia seja capaz de alguma coisa, uma mãe que a deixou com 12 anos, um emprego meio <em>bosta</em> em uma loja de sapatos. Annie, sua melhor amiga, torna as coisas mais leves e fáceis, e é através dela que Sophia conhece seu namorado Shane.

Após uma briga com sua chefe, Sophia é demitida, então, andando por ai, ela acaba entrando em um brecho, e comprando uma jaqueta original dos anos 70, por uma pechincha. Sophia acaba vendendo essa jaqueta no Ebay, então, ela vê que ali está o seu emprego dos sonhos.

A minha relação com Sophia é de amor e ódio. Na vida real, se eu conhecesse Sophia da série, o adjetivo que eu usaria para me referir a ela, seria filha da puta. Ela é egocêntrica, egoísta, mimada mau humorada e um tanto quanto mentirosa. Porém, ela também é focada, persistente, e uma coisa importante: ela sabe pedir desculpas. Basicamente, eu quero esmurrar e abraça-la, ao mesmo tempo. GirlBoss traz o tal do anti herói. Sophia não é nem de looonge perfeita. A série, deixa a mensagem: tá tudo bem não ser perfeita.

A série tem um humor irônico, porém, em incontáveis vezes, ela acaba se perdendo para tentar profanar esse humor (e falha). GirlBoss aborda machismo, relacionamentos e essa coisa de ter vinte e poucos anos e não fazer ideia do que tá acontecendo. Acredito que em muitos pontos, a série podia ter se aprofundado muito mais em alguns pontos, porém, pelo menos para mim, eles foram super válidos para uma reflexão.

GirlBoss não vai ser a série da sua vida. Mas, vale a pena (eu juro!).