07-01-19

O famigerado fundo do poço

O ano era 2018 (sim, ano passado mesmo), e exatamente nesse querido, em um certo aspecto da minha vida, eu cheguei ao fundo do poço.  E, olha só: quando você está no fundo do poço a única opção que você tem é sair dele, já que não existe outra coisa que você possa fazer.

Eu acho que vou exemplificar: eu achava meu trabalho meio pombo (se não entendeu a expressão, vide esse vídeo), eu meio que queria sair de lá, e uma pessoa que estava acima de mim, aparentemente não gostava de mim. Porém, eu estava acomodada. Era um emprego que eu estava por anos a fio (as vezes, eu até tinha certa vergonha de falar que continuava lá), porém tudo estava, relativamente na medida do possível, ok.
Até que um dia, eu fui demitida.

Eu encarei da pior forma possível. Quando eu digo pior, é pior mesmo. Eu achei que nunca mais fosse conseguir achar outro emprego, que eu não seria boa o suficiente (oi, síndrome do impostor). Porém, eu estava no fundo do poço, e quando você está nesse lugar, a sua única alternativa é sair de lá. Ou seja, o que essa senhorita foi fazer? Isso mesmo, o que eu almejava a tanto tempo: encontrar outro emprego.

Spoiler: deu certo.

Aquilo foi o meu fundo do poço, olhando agora, confesso que eu tive uma certa reação exagerada (lê-se: eu me esgoelei de chorar, true real), mas eu acredito que a gente age de acordo com o conhecimento que tem. Aquilo era o que eu tinha.

Então, tenha força. Talvez, antes de chegar lá no estado deprimente, você possa ser forte para sair da sua zona de conforto e mudar (ps: dói também). Caso você chegue no fundo do poço (e isso não significa que você não foi forte o suficiente)

  1. Calma. DÉBORA CALMA COMO EU VOU TER CALMA DEMÔNIA??????
    Eu sei, não vai ter calma mesmo, mas talvez, seu problema esteja parecendo grande demais na sua lente. Sim, eu sei. É um problema e é grande. Mas, dê um passo para trás.
  2. Pense nas outras vezes que tudo estava um caos. Você superou, certo?
  3. IMPORTANTE: É mais fácil subir se alguém te joga uma corda, uma escada, ou te der a mão. Procure ajuda de pessoas que você confia, e não tenha medo de procurar um psicologo. O número do Centro de Valorização da Vida é 188.

“O que você sente agora, uma hora irá passar. A felicidade e a tristeza. Aceite as mudanças e aproveite a jornada”.