30-04-17

A série GirlBoss e suas (im)perfeições

A série do NetFlix GirlBoss, é baseada no livro de mesmo nome, escrito por Sophia Amoruso, criadora da  loja Nasty Gal, que começou no Ebay, e depois apenas quase que ganhou o mundo.

GirlBoss

Conselho de amiga. Escute a playlist de GirlBoss

— A vida adulta é aonde os sonhos vão para morrer. Cresça, arrume um emprego, vire um robô. É isso. Depois acabou. A socieade só quer colocar todos em uma caixa. Bom, sabe de uma coisa, sociedade? Não existe caixa. Se achasse que passaria o resto da minha vida como uma engrenagem irracional em uma máquina juro, eu faria uma tatuagem na cara dizendo: “Sério, cara?”. Só preciso descobrir um jeito de crescer sem me tornar uma adulta chata.
— Quer saber o que eu acho? Tudo o que está dizendo é idiotice.
— A conformidade é uma prisão, e a tatuagem está mais para metáfora.
— Não, idiotice é você choramingar sobre como é terrível crescer.
— Não estou choramingando. São pensamentos bem pensados.
*Sophia leva um tapa na cara*
S01E01

Sophia, não faz ideia do que está acontecendo com a sua vida. Ela tem 23 anos, um pai que trabalha muito, e que pelo o que parece, não acha que Sophia seja capaz de alguma coisa, uma mãe que a deixou com 12 anos, um emprego meio <em>bosta</em> em uma loja de sapatos. Annie, sua melhor amiga, torna as coisas mais leves e fáceis, e é através dela que Sophia conhece seu namorado Shane.

Após uma briga com sua chefe, Sophia é demitida, então, andando por ai, ela acaba entrando em um brecho, e comprando uma jaqueta original dos anos 70, por uma pechincha. Sophia acaba vendendo essa jaqueta no Ebay, então, ela vê que ali está o seu emprego dos sonhos.

A minha relação com Sophia é de amor e ódio. Na vida real, se eu conhecesse Sophia da série, o adjetivo que eu usaria para me referir a ela, seria filha da puta. Ela é egocêntrica, egoísta, mimada mau humorada e um tanto quanto mentirosa. Porém, ela também é focada, persistente, e uma coisa importante: ela sabe pedir desculpas. Basicamente, eu quero esmurrar e abraça-la, ao mesmo tempo. GirlBoss traz o tal do anti herói. Sophia não é nem de looonge perfeita. A série, deixa a mensagem: tá tudo bem não ser perfeita.

A série tem um humor irônico, porém, em incontáveis vezes, ela acaba se perdendo para tentar profanar esse humor (e falha). GirlBoss aborda machismo, relacionamentos e essa coisa de ter vinte e poucos anos e não fazer ideia do que tá acontecendo. Acredito que em muitos pontos, a série podia ter se aprofundado muito mais em alguns pontos, porém, pelo menos para mim, eles foram super válidos para uma reflexão.

GirlBoss não vai ser a série da sua vida. Mas, vale a pena (eu juro!).

deixa um pouquinho de você comigo 💕
  1. em 06/05/2017

    Eu estou adorando a série. Apesar de eu ter empacado no episódio 8 (Eu comecei a acompanhar outra série haha), eu estou amando muito GirlBoss. Sua resenha definiu tudo o que eu sinto, eu amo e odeio a Sophia, ela é ridícula e incrível ao mesmo tempo. Vale super a pena ver mesmo! Quando eu terminar, quero lembrar de voltar aqui e falar o que achei! hahaha
    Seu blog é lindo demais, achei o design fantástico! (Sem falar que estou ouvindo a playlist, obrigada por isso, Girl!)

    Beijoooos!

  2. em 06/05/2017

    Sendo bem sincera, eu não aguento mais ler coisas sobre o seriado, mas confesso que estou curiosa para saber um pouco mais da personagem e entender sua forma de enxergar o mundo. Ela tem ideais muito objetivos e um pensamento forte que me faz me identificar com suas atitudes e teorias rs. Acho que supriria essa relação de amor e ódio com ela também ♥

  3. em 08/05/2017

    Eu não fiquei realmente interessada na série, pra falar a verdade eu só descobri ela depois que foi lançada mesmo. Veio um certo interesse depois que meio que virou um bafáfá sobre ela ser isso e aquilo e como eu gosto de tirar minhas próprias conclusões (e pq a atriz é uma fofa) me deu vontade de ver. Mas ainda não comecei. Acho bom ter todo um questionamento sobre o que a gente está vendo, mas as vezes uma série é só uma série né?

  4. em 09/05/2017

    Oie, tudo bem? Tenho visto muita indicação dessa série e confesso que está sendo quase impossível ficar sem assistir. Pensar que alguém se tornou tão bem sucedida e famosa com uma ideia tão simples é com certeza inspirador. Com relação aos produtores acredito que eles não aprofundaram os personagens devido ao tempo da série, tem poucos episódios. Quem sabe se houver continuação eles possam desenvolver esse aspecto. Gostei muito da playlist, já salvei para ouvir novamente. Beijos, Érika =^.^=