14-01-18

2017 e as águas que bebi

2017… Que ano. Queria ilustrar esse ano, com uma coisa que aconteceu.

Sabe quando você adquiri certos complexos, e eles estão a tanto tempo com você, que você e esse problema parecem um só? Isso vai parecer estranho, porém: sertanejo me lembrava a uma certa coisa ruim que me aconteceu lá pelos meus 12/13 anos.

Desde essa idade, eu tomei um ranço absurdo de sertanejo. Estava tocando na rádio? Muda de estação rápido! Quando a gente era mais desfavorecida, e não tinha dinheiro para pagar a conta premium, e aparecia no anúncio do spotify? Abaixa todo esse volume!!!

Eu sei que por anos a fio, evitei a todo custo sertanejo, porque eu não conseguia não ligar sertanejo com aquela coisinha ruim que me aconteceu na minha pré-adolescência. E eu cantava aos quatro ventos que jamais ouviria sertanejo. Que era o pior ritmo musical etc etc etc.

E, veja só o que esse 2017 me fez: uma colega de trabalho (que acabou virando uma das melhores pessoas da vida) ia comemorar o em uma balada sertaneja aqui de São Paulo. Ela insistiu, insistiu e insistiu e, eu fui. E, eu me diverti. Claro que eu não confessava isso, por nada desse mundo, porque a gente tem que manter a pose. Tempos depois, surgiu um show da Maiara e Maraísa, e novamente: eu fui. E eu me diverti. Acabei indo nessa balada sertaneja mais vezes do que eu esperava, e me divertindo (muito) em todas as vezes.

Se eu pudesse resumir isso em meme seria:

2017 e o meme: nunca diga desta água não bebereis pq vai que, além de bebereis, ainda se afogareis nessa água

Toda essa história, só para dizer que você não precisa levar as coisas ruins para sempre. Que a qualquer momento, você pode fazer diferente, e que o passado, é imutável. Mas, o presente está ai, e você pode aproveitar da melhor maneira possível sim.

 

 

Então, vem cá e que tal nesse tal de 2018, repensar sobre coisas que você carrega junto de você? O que aflige esse seu coração, que você pode deixar para trás?

Ademais é: 2017, você em algumas vezes foi uma 💩, mas também valeu. Valeu mesmo (#gratidão, né gentem?).

30-04-17

A série GirlBoss e suas (im)perfeições

A série do NetFlix GirlBoss, é baseada no livro de mesmo nome, escrito por Sophia Amoruso, criadora da  loja Nasty Gal, que começou no Ebay, e depois apenas quase que ganhou o mundo.

GirlBoss

Conselho de amiga. Escute a playlist de GirlBoss

— A vida adulta é aonde os sonhos vão para morrer. Cresça, arrume um emprego, vire um robô. É isso. Depois acabou. A socieade só quer colocar todos em uma caixa. Bom, sabe de uma coisa, sociedade? Não existe caixa. Se achasse que passaria o resto da minha vida como uma engrenagem irracional em uma máquina juro, eu faria uma tatuagem na cara dizendo: “Sério, cara?”. Só preciso descobrir um jeito de crescer sem me tornar uma adulta chata.
— Quer saber o que eu acho? Tudo o que está dizendo é idiotice.
— A conformidade é uma prisão, e a tatuagem está mais para metáfora.
— Não, idiotice é você choramingar sobre como é terrível crescer.
— Não estou choramingando. São pensamentos bem pensados.
*Sophia leva um tapa na cara*
S01E01

Sophia, não faz ideia do que está acontecendo com a sua vida. Ela tem 23 anos, um pai que trabalha muito, e que pelo o que parece, não acha que Sophia seja capaz de alguma coisa, uma mãe que a deixou com 12 anos, um emprego meio <em>bosta</em> em uma loja de sapatos. Annie, sua melhor amiga, torna as coisas mais leves e fáceis, e é através dela que Sophia conhece seu namorado Shane.

Após uma briga com sua chefe, Sophia é demitida, então, andando por ai, ela acaba entrando em um brecho, e comprando uma jaqueta original dos anos 70, por uma pechincha. Sophia acaba vendendo essa jaqueta no Ebay, então, ela vê que ali está o seu emprego dos sonhos.

A minha relação com Sophia é de amor e ódio. Na vida real, se eu conhecesse Sophia da série, o adjetivo que eu usaria para me referir a ela, seria filha da puta. Ela é egocêntrica, egoísta, mimada mau humorada e um tanto quanto mentirosa. Porém, ela também é focada, persistente, e uma coisa importante: ela sabe pedir desculpas. Basicamente, eu quero esmurrar e abraça-la, ao mesmo tempo. GirlBoss traz o tal do anti herói. Sophia não é nem de looonge perfeita. A série, deixa a mensagem: tá tudo bem não ser perfeita.

A série tem um humor irônico, porém, em incontáveis vezes, ela acaba se perdendo para tentar profanar esse humor (e falha). GirlBoss aborda machismo, relacionamentos e essa coisa de ter vinte e poucos anos e não fazer ideia do que tá acontecendo. Acredito que em muitos pontos, a série podia ter se aprofundado muito mais em alguns pontos, porém, pelo menos para mim, eles foram super válidos para uma reflexão.

GirlBoss não vai ser a série da sua vida. Mas, vale a pena (eu juro!).

21-03-17

6 coisas para fazer esse ano

Dizem que o ano só começa depois do Carnaval. E, sim. Pelo o que parece, estou um pouco atrasada para fazer as metas desse ano, mas, sejam legais comigo: teve bloquinho em São Paulo até o fim de semana passado. Então, tá tudo bem.

Rubinho Barrichello te deseja um ótimo 2017!

Rubinho Barrichello te deseja um ótimo 2017! | Foto: Eduardo Knapp/Folhapress

Aquele post sobre a cadeira de roupas da vida é bem bonitão. Palavras bonitas, motivacionais… Porém, são só palavras. E a gente, tem que? Isso mesmo. Fazer alguma coisa para mudar. Mas, mudar é um processo complicado, de muitas variáveis, a gente acaba perdendo o rumo, achando que não consegue, deixando para lá… Então, resolvi passar tudo o que está na minha cabecinha para cá, e não posso deixar de imaginar “magina que louco, se eu fizer tudo isso, e vir aqui contar?”. Uma motivação a mais (:

  • Tirar fotos
  • Namoro fotos no intragram e no pinterest. Tenho uma luta: timidez versus vontade de fotografar. Acredito que: se eu conseguir tirar fotos, minha timidez vai melhoras e muito.

  • Estudar
  • Eu escrevo códigos. Basicamente, eu manjo os paranauê de fazer sites e uns programas. Porém, essa área é louca: você piscou, e já tem um milhão de tecnologias novas. Em contrapartida, também tem um montão de curso de qualidade internet a fora. O que a gente precisa é de vontade.

  • Praticar o tal do auto controle.
  • Longa história, com muita coisa. Ao invés de tentar resumir tudo isso aqui, vai ter post especialmente sobre.

    Adventure Time
  • Conhecer gente nova
  • Vocês já experimentaram sair por aí, e conhecer gente nova? Fiz isso um dia desses, e só sei sentir amor. Digamos que esse é um objetivo meio completo. Porém, mais gente nunca é demais, né não?

  • Conhecer novos lugares
  • Nem preciso explicar, não é? Esse item inclui aquele ótimo: guardar dinheiro. O que nos leva diretamente para…

  • Ter um portfólio
  • De novo: faço códigos e uns sites. E, sabe aquela história? Casa de ferreiro, espeto de pau? Pois é. A gente, que trabalha com essas tecnologias, costuma ter um cantinho na internet para mostrar o que a gente faz. Ajuda a encontrar emprego e clientes.

28-02-17

A banda que vai ganhar seu coração: Vanguart

Vanguart: a banda que vai ganhar seu coração

Tocante. É o que Vanguart é.
Fui ao show da banda, no dia 9 de fevereiro, e juro: na primeira música, eu chorei. Aperta o play aí! mostrar vídeo

Vanguart surgiu no Cuiabá, Mato Grosso, em 2004. E, apesar de mais de 10 anos, muita gente (infelizmente) quando eu falei que ia no show do Vanguart, ficaram com uma cara de interrogação. Eu tenho quase certeza, que essa banda vai ganhar um espaçinho no seu coração, que você vai me agradecer, e por muitas vezes, eles vão salvar o seu dia.

É rock, indie, folk, ou como eles se classificam Wild Free Folk. Atualmente, existem quatro álbuns gravados em estúdio (caminhando para o quinto!!!!), e a essência das músicas, é o amor. Atualmente, eles são apenas em quatro, mas fazem de tudo. Tem gaita, violão, bandolim, trompete e violino (que faz uma super diferença no show, deixa o que já era tocante, mais tocante). Fora os vocais dos três caras da banda, que são maravilhosos. Queria descrever, mas me faltam palavras. É amor em forma de música, e só escutando para saber.

E eu, estou como? Querendo indicar T-O-D-A-S as músicas. Mas, o Vanguart fez essa, a disponibilizou o último DVD gravado ao vivo na íntegra no youtube. Então, se aconchega. E, sinta a paz dentro de você

Acompanhe o Vanguart nas redes sociais:

Mas, vem cá e você? Conhecia o Vanguart? Qual a música que mais tocou seu coração?
Encerro esse post falando: de nada. Porque eu sei que você vai me agradecer por isso.

19-02-17

Sobre a cadeira cheia de roupas da vida

Sobre a cadeira de roupas da vida

Foto: Maya Fuhr

Você provavelmente, tem uma no seu quarto. Você sabe: a cadeira cheia de roupas. Se você não tem a cadeira, provavelmente, isso ocorre com uma parte do seu guarda-roupa.

Você chega em casa, tira suas roupas, e coloca na cadeira. E, bem. Você sabe: se você simplesmente guardasse a roupa e/ou colocasse para lavar, você não gastaria 5 minutos. Mas… A cadeira tá ali, não é? Deixa por lá mesmo. Uma semana depois, você quer uma brusinha. Uma muito especifica: aquela, de alça preta, que combina com aquela calça que tem aquele furinho no bolso…  Mas, onde diabos está? Sim, na cadeira. Que agora provavelmente está quase que desmoronando de tanta roupa que tem lá. E, veja só: você vai gastar, pelo menos, chutando baixo, uma hora arrumando tudo isso.

Eu, além de ter a cadeira no meu quarto cheia de roupas (juro que estou tentando ser melhor), também tenho a cadeira cheia de roupas da vida. Eu vou acumulando tarefas na minha cadeira da vida. Tarefas essas que claro, um dia serão feitas. Quando eu tiver tempo. Ou dinheiro. Ou coragem. E, na verdade, o que eu estava esperando é aquela hora em que os astros estão perfeitamente alinhados: com dinheiro o suficiente, sem medo do que as pessoas vão pensar, trabalhando em um lugar legal, com as séries em dia, dormindo oito horas por dia, e com tempo para escrever em um blog. Mas, veja só: esse tal de momento perfeito não existe.

Uma das coisas que estava na minha cadeira da vida, era esse blog. Há tempos eu quero fazer um blog de novo (tive alguns blogs na infância/adolescência). Sendo mais específica desde o ensino médio. Então, faça as contas: se estou no quarto ano da faculdade, e tenho essa vontade desde o segundo ano do ensino médio… Faz tempo, não é? O problema, era que eu esperava o momento perfeito: quando eu tivesse dinheiro o suficiente, ou tempo o suficiente ou fosse “corajosa” o suficiente (timidez foi um grande empecilho de colocar isso aqui no ar)… E bem… Essa hora nunca chegou. Por isso, certo dia, eu simplesmente paguei o domínio e a hospedagem. Quando dói no bolso, a história vira outra. Então, aqui estamos. Vai dar certo? Eu sei lá. Eu estou com medo do que os outros vão pensar? Sim. Mas, também cansei. Resolvi que cansei de esperar pelo momento perfeito. Acredito que dá para fazer o momento perfeito acontecer.

Para me lembrar que, não há momento perfeito, eu fiz um wallpaper, com os dizeres “You are entirely up to you”, que pode ser interpretado como “Você é responsável por você mesmo”. É claro que há coisas que fogem do seu controle. Mas, você pode escolher como lidar com essas coisas. E, tem versão para desktop, para celular, e uma versão com auto qualidade para impressão! (:

Wallpaper You are entirely up to you

Mas e você, me conta. O que tem aí na sua cadeira de roupas da vida, que você quer tirar de lá?